Seguidores

segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Dança comigo



De olhos fechados e sentidos abertos
                             para tocar o infinito


nossos corpos colados um no outro...
vestidos polo ar que nos abraça
não permitindo nós nos separar,
contornando o 'uno' que formamos
com o ocaso dum dia qualquer...


E tu cantas...
mornas notas acariciam minha pele
que se sonha flor de eterna primavera


Tu cantas...
e eu deixo-me perder em teu sotaque
inundada de luz na penumbra da sala...
a lua aguarda para nos vir cobrir
com seus fios de prata até a madrugada...


A janela aberta a falar da brisa
húmida e quente...
de um mar salgado e bravo...
que se move dentro e fora
sussurrando o sonho eterno
de um tempo para nós dous
um tempo que voa nas assas
secretas de borboletas azuis


Tu cantas...
e a primavera desabrocha
as pétalas do meu corpo
que pressente o verão em ti
prestes a chegar...




Dançamos quietos...
visitando, sem nos mover de lugar,
cada recanto de nós, do nosso interior
hoje abarcável infinito...


Dançamos...
com a música do mar
a voar em liberdade por cima
de todas as realidades impossíveis


E tu cantas...
E tu cantas...

Concha Rousia

2 comentários:

  1. Apaixonada estou pelos seus belos versos...

    ResponderExcluir
  2. Minha amiga, que lindas palavras as tuas, grata e feliz por tu apareceres... vou lá te seguir tb, beijos com carinho

    ResponderExcluir