Seguidores

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Partir



Partir
partir de aqui
de ti
de mim
das distâncias por percorrer

Partir
deixando atrás
o que não chegou a ser
levar em nós o que ja foi
o que nos passou

Partir
abrir as portas ao não ficar
percorrer caminhos que entram
na memória com imagens inéditas
ir sem conseguir ser despedida
levar as palavras embrulhadas
em lágrimas ocultas
em poema por escrever

Partir
levando nas asas o regresso
sabendo que jamais se regressa
como jamais se revisita o passado
como essas nuvens
que jamais são as mesmas
mesmo que molhem igual
chove hoje saudade aqui
e os guarda-chuvas sem inventar
não com as dimensões
deste nosso sentir na ausência
nem com nossas cores preferidas
que são todas quando estamos juntos
mas hoje o dia foi chamado partir...

Partir
partir-se
partir-se em despedida...


Concha Rousia
Compostela 7 agosto de 2011


2 comentários:

  1. Olá Concha,

    o verbo partir é sinistro.

    Bjos de luz.

    ResponderExcluir
  2. Pois é mas a realidade por vezes tb é...

    Beijos

    Concha

    ResponderExcluir